domingo, 2 de abril de 2017

Saúde Afetada - Fígado e Mais... | Projeto Que Saúde!

Há um mês e meio eu não tenho postado mais muito aqui no blog e nem no Instagram.

Eu desanimei pra valer do blog. Desanimei num nível que eu sequer me lembrava do meu diário virtual. Mas não desisti daqui.

Esta semana que passou, no entanto, eu lembrei muito do meu querido 2017 Projects. Pensei bastante. Pensei mais ainda sobre estar viva, sobre cuidar mal da minha saúde, ser descuidada, viciada em porcaria, instável mesmo entre comer bem e comer pessimamente, me exercitar apenas uma vez por semana, dormir algumas noites bem, outros dias mal... Enfim, nem de todo errado, mas longe de ser tudo certo.

Meu corpo reclamou. De um jeito que nunca tinha acontecido e eu fiquei assustada.

Eu não aumentei meu peso, mas aumentei o consumo de coisas que eu tenho consciência de que eu não deveria colocar pra dentro. Falando o português claro, eu comi caixas de chocolate, barras de chocolate, batata frita industrializadas, salgadinhos de milho do mesmo jeito, refrigerante de cola normal (não diet ou light). Pouco ou nenhum vegetal. Pouca ou nenhuma fruta.

Então, depois de dias de excessos como se não houvesse amanhã, jantei pizza de 4 queijos e camarão (com azeite e pimenta) no domingo à noite pra fechar, e eu acordei sentindo uma dor na altura do fígado, como se eu tivesse levado um soco e estava dolorido, sabe? Se não sabe, não queira saber...

Eu não podia nem me mexer bruscamente. Eu sentia toda a extensão do orgão inflamado. Achei que estava prestes a morrer. Ora, fígado não é um orgão que dói, a menos que o problema seja sério.

Eu me senti muito indisposta. Dolorida mesmo. Eu sentia como se o meu fígado estivesse inchado, dilatado, aumentado. Mas eu não quis ir a alguma emergência em hospital. No fundo, eu sabia como me tratariam em relação a isso: diriam pra eu cortar gorduras e açúcares, malhar e emagrecer, não tem outro tratamento. E, não serei hipócrita, disso tudo eu já sabia. Porém, é como se eu ainda não tivesse o controle necessário sobre minha fome.

Daí, fiz aquela ligação básica entre a fome real e a emocional. Não vou negar que certas situações na minha família mexeram muito comigo e eu não tenho escudos pra lidar com isso sem que me afete. Não quero usar isso como desculpas, mas foi o que aconteceu e me gerou certas reações.

Senti medo, angústia, cobranças, me senti incapaz, minha autoestima foi pro pé, fiquei com raiva, tristeza... Por mais que eu ache que consigo me reestabelecer logo, é como se ondas de consequências permanecessem rolando por algum tempo depois.

O maluco é que, mesmo eu tendo plena sensação física de não sentir fome, é como se, nestes últimos dias, meu cérebro me forçasse a comer, me fazendo pensar e desejar comidas erradas 24 hs por dia, até enquanto eu durmo, sonhando com comidas.

Passei a beber mais água e água com limão, querendo me "lavar" por dentro. Pra querer me faxinar internamente, eu comi bastante cebola crua, gengibre, abacaxi e maçãs, voltei a tomar as pílulas de alho (eu tinha parado há pouco), tentei diminuir todo e qualquer alimento. Ou seja, fiz o que conhecia e podia pra ver como meu organismo reagia numa possível melhora.

Quando o fígado reclama, é normal vc ter uma sensação intermitente de empachamento, quase um leve enjoo e apatia. Tentei me movimentar mais, mas admito que também me senti exausta com pouquíssima movimentação, deixando até de tomar banho em alguns dias por causa desse cansaço. Fiquei com prisão de ventre uns dois dias, o que me deixou agoniada e mais inflada.

Tb foi uma semana de TPM e, considerando que eu não menstruei mês passado, senti como se estivesse vindo com mais força. Finalmente, a menstruação chegou e sinto como se isso estivesse me ajudando na limpeza do organismo.

Mas, não vou mentir: mesmo sentindo melhoras no fígado, eu ainda ingeri, aqui e ali, coisas que não me fazem bem, especialmente o chocolate, que nesse período da mulher é sempre tão irresistível. Tb comi kibes fritos, mas fora isso, evitei toda sorte de gorduras, ainda mais as fritas, que me foram ofertadas (e desejadas) todos os dias.

Minha circunferência abdominal parece maior, me sinto um bauzinho. Pesada, larga, quadrada, inflada.

Ao final da semana (hoje é madrugada de sábado pro domingo), eu posso dizer que a dor maior passou. Ainda tem aquele tiquinho ao longe, que aparece mais quando, por exemplo, espirro. Juro que sinto o fígado doer ao ser espremido nas costelas. Mas bem menos agora do que na segunda-feira passada, dia da "crise".

Espero que Deus me ajude a ter forças pra me cuidar nesta nova semana. A fé tem me socorrido, tenho assistido às missas e pedido e agradecido pela minha saúde, ente outras coisas deveras importantes.

Mesmo ainda não postando aqui, eu tenho ido e marcado médicos e feito exames. Tenho alguns a serem feitos, principalmente os de sangue. Noutro post, falarei da médica endócrino maravilhosa com quem me consultei. Fico chateada comigo mesma de, depois dela que foi tão especial, eu ainda me comportar como minha própria inimiga, me descuidando desse tanto que tô relatando aqui.

Não foi uma semana fácil pra minha saúde, pra minha família, pra minha vida. Mas também tive um bom momento ou outro. E são por esses momentos que a vida vale muito a pena de ser vivida ao máximo e por mais tempo de qualidade possível.

Estou lutando por isso.


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Parâmetros do Projeto Que Saúde | Parte 2 - Exercícios Físicos

- Movimentar-me mais: em qualquer coisa, tentar fazer me mexendo, andando...;

- Fazer 3 horas de elíptico em casa todo dia, dividido nos 3 turnos;

- Fazer alongamentos sempre que possível: ao acordar, no meio do dia, antes de dormir;

- Caminhar na praia ou num parque para respirar ar puro e levar sol 3 dias da semana pra começar;

- Iniciar uma atividade física extra, como yoga ou dança;

- Depois dos primeiros 15 kgs perdidos, iniciar musculação

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Parâmetros do Projeto Que Saúde | Parte 1 - Alimentação

- Diminuir em 1/3 a quantidade de alimentos que tenho ingerido em cada refeição;

- Beber água morna com limão e gengibre logo pela manhã, depois do almoço e antes de dormir;

- Não comer pimentas ou outros temperos e alimentos que sejam irritantes ao estômago;

- Garantir que eu beba 3 litros de água por dia divididos nos 3 turnos;

- Bebidas: Apenas água e água de côco. Vinhos só raramente;

- Não beber refrigerantes ou sucos de qualquer tipo;

- Low Carb: alimentação que corta carboidratos refinados, preferindo os naturais de saladas, como os do brócolis, cebola, palmito, tomate...;

- Low Fat: alimentação que corta gorduras não saudáveis, preferindo as vegetais, tais como azeite extravirgem de oliva, carne do côco e abacate;

- Dukan based: priorizar a ingestão de proteínas puras e saladas;

- Evitar molhos industrializados. Evitar molhos e industrializados em geral;

- Reduzir ao máximo a ingestão de sal em todas as suas formas;

- Comer sempre nos horários certos;

- Nunca se forçar a comer mais do que se sente satisfeita;

- Ter o "não" na ponta da língua quando te oferecerem e até insitirem que vc coma algo que não te faz bem ou que vc de fato nem quer mesmo;

- Evitar se expor a ambientes que podem ser muito tentadores como restaurantes rodízio e festinhas;

- Preparar os potes de saladas pra semana inteira no domingo à tarde;

- Andar sempre com um snack dentro da bolsa (castanhas-do-Pará ou damasco) e com uma garrafa d'água;

- Fazer uma feira semanal, aos domingos ou sábados;

- Não ingerir nenhum tipo de açúcar e evitar adoçantes;

- Comer uma ou duas frutas por dia, mas evitar comer muitas.


[A ser continuado...]

Um Mês Parado... Que Voa! - Diário

Sim, Fevereiro está mais parado que tudo pra mim. Tenho saído pouco, escrito pouco, fotografado pouco, organizado pouco... Um desânimo tomou conta de mim que chega a ser algo de fato físico.

Já passamos da segunda semana do mês de 28 dias e ainda não entrei na linha.

Não estou me alimentando como queria, não estou me exercitando como deveria, não estou fazendo qualquer coisa que seja um plano meu. Sinto que estou apenas seguindo do jeito que posso. E o jeito que sinto que tô podendo é meio que me arrastando.

Tenho sentido muita moleza, indisposição mesmo, dores de cabeça dia sim dia não, aumento de peso... e muito, muito calor.

A sensação de derrota é constante, mas, enfim, até isso eu creio que faz parte do processo. Porém, confesso que não esperava por isso logo no segundo mês. Achei que estaria com todo gás! E fico pensando que era pra eu estar evoluindo, não parando.

⇒ Tô até orando pra que Deus me ajude a dar a volta por cima. Do jeito que tá, tá difícil demais... não dá pra continuar devagarinho desse modo.

Já o tempo... ele tá passando muito rápido!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

São Tantas Emoções! - Diário

A última semana foi exaustiva, inclusive (ou principalmente) emocionalmente.

Briguei com a família, briguei com amigos, briguei com quem mais apareceu pela frente. Ok, não foram briiigas, briiigas, mas desentendimentos e discussões que me abalaram.

No fundo, tenho orgulho de ter reagido no mesmo tom, pq antes eu costumava engolir tudo. Mas, enfim, foi chato ter passado por isso. Não quero mais o que tira a minha paz.

Mas tbm foi uma semana que coisas legais aconteceram como estar com uma grande amiga e nos divertirmos um pouco; conversamos, foi legal! Porém, a parte boa e a parte ruim foram bem misturadas, aconteceram quase ao mesmo tempo.

Somente hoje estou me sentindo mais relaxada pra parar e escrever aqui no blog.

No entanto, eu não tenho muitas novidades em nenhum dos meus projetos.

Se em Janeiro as coisas pareciam progredir lentamente, agora em Fevereiro parece até que foram suspensas de tanto que eu fiquei dispersa/envolvida com os acontecimentos do meu cotidiano.

Minha alimentação tem estado melhor, mas ainda não é o que quero pra mim e não seguem meus planos. Porém, sei que poderia estar pior como antes... Então, não vou reclamar.

No último sábado, eu fiz uma faxina exaustiva aqui em casa e notei quão sujinha minha casa estava. E olha que não consegui dar conta de tudo - ainda ficou muita coisa a ser resolvida, arrumada, limpa.

Não li livros, não vi filmes, não ouvi muita música. E, hoje, desisti de começar um curso. Crise.


segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Cabelo: Máscaras de Banho | Resenha Comparativa - Projeto Visual Uau

Há alguns dias, eu postei no Instagram do blog @17Projects uma foto de dois produtos que comprei ano passado e que tenho usado ultimamente quando quero fazer uma hidratação rapidinha durante o banho.

Agora, vou fazer uma resenha um pouco mais ampla aqui:


1) 3 Minute Miracle Moisture Deep Treatment para cabelos sedentos com macadâmia australiana, da Aussie, 250 ml

Comprei este produto numa liquidição fora do país pelo equivalente a 40 reais. Sempre ouvi falar bem dos produtos da Aussie e quis aproveitar pra comprar, pois aqui no Brasil costuma custar o dobro. Gostei muito da apresentação e das promessas dele.

⇒ É bom?

É bom, sim, porém, não é lá tão bom assim se a gente pensar na relação custo x benefício. Ele deixa o cabelo leve e macio, mas não chega a ter aquele cabelo derretido que a gente ama. O brilho que ele dá aos fios depois que tá seco é bem regular, nada demais. Confesso que não sinto os fios tão recuperados quanto é prometido, mas não deixa de ser um efeito legal. O que mais gostei nele foi o cheirinho, meio de chiclete, meio de fruta.

⇒ Compraria de novo?

Provavelmente, não. Há outras opções no mercado que valem mais a pena o investimento e que têm resultados mais completos. Contudo, essa foi a minha experiência. É um produto que eu recomendo por ter qualidade; vai que funciona melhor pra outras pessoas.


2) Máscara Express Recuperação Intensa para Cabelos Danificados em 1 minuto Sou, da Natura, 200 ml

Custou cerca de 13 reais numa farmácia e a Natura tem uma qualidade bem reconhecida nacionalmente. Eu admito que não curti muito a embalagem simples, quase que de um refil, apesar de ter um formato bonitinho e uma cor que chama a atenção. No entanto, é até meio difícil de manejá-lo no banho por ser molinha.

⇒ É bom?

O cheirinho é razoável, não incomoda, nem super agrada. Mas o mais legal é que promete recuperar os fios em apenas 1 minuto! Não acho que recupere tanto assim, mas dá, sim uma derretida no cabelo e o melhor dele é o brilho lindo que fica quando os fios estão já secos. Nem uso leave-in depois quando uso esse creme na hora do chuveiro.

⇒ Compraria de novo?

Sim, inclusive, planejo comprar antes que suma das prateleiras, pq a Natura costuma vender de porta em porta, né, não sei se vai continuar com essas vendas em farmácias. Como o valor é baixo e o benefício é melhor do que a desse outro creme importado, acho que é vantajoso garantir mais um, pelo menos.




Balanço do Primeiro Mês de 2017 - Diário

Janeiro de 2017 está terminando e nada melhor do que fazer um balanço geral do que aconteceu na minha vida até agora em relação aos meus projetos.

Começo logo admitindo (e nos posts durante o mês pode-se constatar isto) que eu não cumpri tão bem o que eu me propus a fazer.

Ok, foi um mês atribulado, em que fiz coisas que há muito não fazia e tive problemas sérios na família, mas, ufa!, tudo está se resolvendo.

Mas, eu fiz o que fui capaz. E, no final das contas, considero que o saldo foi positivo, mesmo que ainda seja apenas pra refletir e fortalecer o que eu realmente quero pra minha vida daqui pra frente.

Tenho certeza que 2017 é meu ano de mudar pra muito melhor e vou fazer isso acontecer, ainda que com alguns percalços.

Sabemos que promover tantas mudanças profundas de uma vez não é nada fácil, então, os impecilhos, tentações, pecados capitais e dificuldades fazem parte do caminhos. Quero não parar em qualquer topada e seguir em frente rumo à realização dos meus objetivos.

Mas, como eu tô gostando de listas ultimamente, vamos aos pontos positivos principais da minha evolução em Janeiro de 2017:

- Eu me inscrevi e concluí 5 cursos de extensão acadêmica

- Comprei e doei alimentos não perecíveis

- Meu sono foi mais organizado

- Reencontrei uma grande amiga que eu não via há meses

- Participei e ajudei minha família na dificuldade

- Levei o carro pra conserto

- Eu me alimentei mais bem do que mal

- Andei mais a pé do que de carro

- Saí um pouco mais de casa do que o que estava acostumada nos últimos anos

- Comecei o blog e reativei outros 3

- Postei bastante aqui, com regularidade

- Comecei o Instagram do blog postando fotos praticamente todo dia

- Socializei mais e de maneira mais leve e despreocupada

- Li vários artigos e matérias completos na internet sobre assuntos variados

- Fiz feirinhas especiais pra minha alimentação

- Mantive a casa mais organizada e limpa

Claro que eu queria ter feito muito mais e estar contando resultados super incríveis, mas eu estou feliz com as minhas pequenas e iniciais conquistas.

É só começo de muita coisa maravilhosa que está por vir.





sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Aos Trancos e Barrancos, mas #SegueOBaile - Diário

Meu sono continua mei loko, mas tá dando pra fazer a maior parte das coisas que preciso no dia, como ir a um curso de extensão (pago) numa faculdade aqui perto de casa.

No entanto, não consigo ter disposição pra muita coisa além de andar uma quadra e passar 4 horas atenta a uma aula que considero super interessante, dando um boost no meu Projeto LEscrever, pois malhar os brains é imprescindível nessa vida, certo? Ceeeerto!

Minha alimentação tá meio bagunçada tbm - como acordei 1 da tarde, não quis almoçar e tomei apenas dois iogurtes gregos lights. Bebi bastante água. À noite, acabei comendo uns 5 chocolatinhos de uma caixa que minha mãe comprou - mas ela mesma me impediu de comer mais (ela diz que é pro meu bem e não deixa de ser, mas eu tbm acho que é pra ela mesma comer depois, rs!).

Daí, comi feijão fradinho com um pouco de farofa, limão e azeite e, depois, batata ruffles do meu irmão (vou ter que repor...). Sim, dei #jacadas pesadas sem nenhum pingo de arrependimento na hora. Só na hora, né, pq depois é que bate a consciência.

⇒ Como é difícil ter essa consciência antes para que nos impeça de comer!!! Que sofrimento, viu?... Bora descomplicar esse meu Projeto Que Saúde!

Enfim, hoje começo mais um dia de luta contra meus próprios impulsos de maus hábitos. Vou me esforçar pra retomar meu sono ficando acordada o máximo que eu puder até chegar a noite (de ontem pra hoje, só dormi umas 4 horas (eu preciso de 8 ou, pelo menos, 7 horas e meia direto).

Tenho seguido vários instas de pessoas que vivem ou viveram esses problemas tbm e, tanto acompanhar a caminhada deles, e compartilhar a minha, quanto ver os sucessos que alcançaram me dá uma motivação extra nos momentos em que me sinto incapaz e estacionada.

Sobre o meu Projeto Visual Uau, eu acabei de pintar as unhas com um esmalte liiindo que estará no insta do blog @17Projects

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Eu e a Síndrome Metabólica - Projeto Que Saúde!

Não é de hoje que suspeito que eu tenho a síndrome metabólica.

Mas foi hoje, quase agora, que tive certeza. Assisti a um vídeo em que a médica fala bem sobre os sintomas e os problemas sérios que essa síndrome pode ser a indicação de termos mais tarde, se não cuidarmos enquanto é tempo.

Nenhum médico que eu fui, na minha vida inteira, abriu a boquinha pra falar que eu tenho essa questão de saúde. Jamais. O motivo de nunca terem me alertado, eu não sei. Eles sempre me disseram que eu tinha que perder peso, mas não passava muito disso.

A síndrome metabólica é caracterizada por pelo menos 3 dos 5 sintomas abaixo*:

  • Obesidade central - circunferência da cintura superior a 88 cm na mulher e 102 cm no homem;
  • Hipertensão Arterial - pressão arterial sistólica ³ 130 e/ou pressão arterial diatólica ³ 85 mmHg;

  • Glicemia alterada (glicemia ³110 mg/dl) ou diagnóstico de Diabetes;

  • Triglicerídeos ³ 150 mg/dl;

  • HDL colesterol £ 40 mg/dl em homens e £50 mg/dl em mulheres


  • Essa combinação pode nos levar a ter um AVC ou um ataque cardíaco 3x mais facilmente que a maior parte da população normal. Pra ter uma ideia, minha barriga sempre foi a parte mais larga do meu corpo. Isso significa que eu tenho um acúmulo de gordura ruim (marrom) entre meus órgãos.

    Eu comecei a me sentir muito mal comigo mesma ao saber melhor desta questão.

    ⇒ Um buchão não é apenas feio e nada sexy, mas é um indicativo real e bem visível de que a saúde vai tão mal que a pessoa está a caminho de ter um derrame ou um infarto! Quão horrível é isso? Assustador.

    Pois é. Não dá mais pra brincar, ser relapsa ou fazer de conta que o problema não existe, pois é grave e é urgente a gente se cuidar. Eu me cuidar. Minha família (que é metade buchudinha), se cuidar.

    Fazer uma dieta equilibrada não é mais um opção apenas pra ficar magra e bonita; é uma necessidade de saúde. De sobrevivência até. Fazer exercícios não é só pra ficar gostosa e tonificada, mas é uma questão de ser e manter-se saudável.

    O cerco está se fechando, os sinais estão aqui e a consciência está ficando cada vez mais forte. Chega de jacadas. Não posso mais me dar a esse luxo com tanta frequência. Não quero mais ter as consequências complicadíssimas por causa de algo que é totalmente tratável e reversível.


    *Dados coletados do site endocrino.com.br